TPMS, Ainda uma Novidade no Brasil

O sistema de monitoramento da pressão nos pneus, conhecido internacionalmente pela sigla TPMS (Tyre Pressure Monitoring System), é uma exigência nos Estados Unidos desde 2006 quando a indústria norte-americana passou a produzir veículos com o sistema de monitoramento, tendo alcançado 100% das unidades produzidas em 2008. Na Europa, a implantação do TPMS iniciou-se em 2012, tendo alcançado a totalidade dos veículos produzidos a partir de 2014. No Brasil, não há obrigatoriedade e as montadoras vão aos poucos oferecendo opções de veículos com esta tecnologia.

As razões para a adoção do TPMS são variadas. Entre elas, a principal deve estar na segurança adicional que o sistema oferece ao condutor. Pneus com pressão abaixo do recomendável podem trazer problemas sérios para a estabilidade do veículo. Além disso, aumenta o contato do pneu com o solo trazendo maior resistência ao rolamento e maior consumo de combustível, bem como desgaste excessivo dos ombros e elevação do ruído produzido pelo pneu. Em face das inúmeras vantagens de monitorarmos a pressão nos pneus, restou evidente aos órgãos competentes no hemisfério norte a urgência em criar regulamentações que exigissem o sistema nos veículos novos. Há estimativas de que 5.000 vidas e 35.000 acidentados sejam poupados apenas na Europa até 2025, devido a adoção do TPMS. E no tocante ao meio ambiente, o TPMS contribuirá para a redução na emissão de CO2 de até 7 gramas por quilômetro em cada veículo.

TPMS Direto

Esta tecnologia consiste em sensores colocados nos pneus, realizando medições que a depender do aparelho podem ir além da pressão, passando inclusive a medir a temperatura e outros dados dos pneus. As informações são transmitidas ao computador de bordo do veículo e esta telemetria é responsável por avaliar as condições do pneu em tempo real e comparar aos parâmetros ideais, informando ao condutor com maior precisão qual pneu está apresentando indícios de perda de pressão. O TPMS Direto possui maior custo de implantação que o TPMS Indireto, além de exigir manutenção dos pneus em locais que disponham de cuidados para não danificar os sensores que por sua vez possuem bateriais que precisam ser trocadas em algum momento.

TPMS Indireto

Neste caso as informações sobre a calibragem dos pneus são apuradas de forma indireta, através do mesmo sistema que já se encontra na maioria dos veículos e que monitora os freios e o ABS (Antilock Braking System). Quando um pneu está com calibragem diferente da padrão, sua velocidade de rotação também é afetada e percebida pela central. Este sistema dispensa equipamentos adicionais (sensores e suas baterias), o que reduz seu custo quando comparado ao TPMS Direto. No entanto, o TMPS Indireto possui menor precisão, não mede outros parâmetros além da pressão e precisa ser reiniciado a cada calibragem dos pneus ou mesmo nos rodízios.



Referencias:

Mustafić, Ibrahim; Klisura, Fuad; Berković, Mirza. Regulation and Tyre Pressure Monitoring System. 14th International Research/Expert Conference (2010). National Highway Traffic Safety Administration, Government of USA. Federal Motor Vehicle Safety Standards; Tire Pressure Monitoring Systems; Controls and Displays. (2005).